terça-feira, 30 de junho de 2015

A incerteza certa




A única certeza na vida é que a incerteza será sua companheira constante. A única coisa que nunca muda é a própria mudança. E não podemos sequer ter certeza disso.
A incerteza não é negativa ou errada - é o caminho. A mente não pode saber do futuro - ela só pode adivinhar, imaginar, sonhar. Tudo o que parece tão sólido é colocado em dúvida, sem aviso prévio. Nós nem sequer sabemos se vamos acordar amanhã de manhã! Entes queridos vão morrer. O sucesso pode voltar-se para o fracasso durante a noite. Relacionamentos de repente mudam de forma. O absoluto se torna relativo absolutamente sem aviso prévio. As estruturas familiares de nossas vidas, as coisas que tomamos concebidas, os amanhãs imaginários, os planos e as esperanças que nos agarramos, são realmente tão frágeis, e o trauma espreita logo abaixo da superfície das coisas neste universo contingente.
A tendência, especialmente no Ocidente, é afastar essa incerteza, para distrair, entorpecer e pacificar a nós mesmos, para chamar metade da vida negativo ou escura e fugir o mais rápido que pudermos. 
Trabalhar mais! Comprar mais! Drogas, álcool, internet, sexo, mesmo a espiritualidade são usados para pacificar nossas mentes ansiosas e divididas.
Mas o cerne da incerteza reside um poderoso ensinamento espiritual: um ensino universal de deixar ir, de sair da história de sua vida e virar-se para um momento sagrado, de descobrir o que está sempre presente, aqui e agora, para além da certeza, além da dúvida.
Sua presença imutável, a presença de Deus, o gosto familiar da própria vida, a certeza íntima que você sempre procurou no mundo, sempre aqui, brilhando, como tudo na sua vida muda, como deve. A calma no meio do caos.
Esqueça a perfeição.
Esqueça tentar fazer o certo o tempo todo.
Aqui você está fazendo o seu melhor, caindo de cara no chão, levantando, caindo novamente, estragando tudo, falhando inacreditavelmente, sendo alvo de risadas, ridicularizado, escarnecido, até mesmo crucificado, e perdendo tudo aquilo que você pensou que era o seu.
E aqui você está abraçando esta confusão toda, morrendo para o sonho e acordando para a realidade de que, amando a perfeita imperfeição, abrindo o seu enorme coração para tudo, continuando a viver sua verdade, apesar de
tudo, destemidamente reconhecendo a cada sagrado momento de olhos bem abertos.
Você não pode fazer o certo, e é por isso que você não pode fazer errado, e para além de ambos, existe um campo.
(Jeff Foster)

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Coisas d'alma



Na mesa de minha alma sentam-se muitos, e eu sou todos eles.
Há um velho, uma criança, um sábio, um tolo.
Você nunca saberá com quem está sentado ou quanto tempo permanecerá com cada um de mim.
Mas prometo que, se nos sentarmos à mesa, nesse ritual sagrado eu lhe entregarei ao menos um dos tantos que sou, e correrei os riscos de estarmos juntos no mesmo plano.
Desde logo, evite ilusões: também tenho um lado mau, ruim, que tento manter preso e que quando se solta me envergonha.
Não sou santo, nem exemplo, infelizmente.
Entre tantos, um dia me descubro, um dia serei eu mesmo, definitivamente.
Como já foi dito: ouse conquistar a ti mesmo.

(Nietzsche)

Entre aspas





As pessoas falam que caminhar na água é um milagre, mas, pra mim, caminhar pacificamente na terra é o verdadeiro milagre.
(Thich Nhat Hanh)

Luz da semana



Experimente o estado divino ao ser inocente de qualquer coisa inútil. Torne-se aquele que desconhece o desperdício, porque a força do desperdício algumas vezes termina com a consciência da verdade e da precisão. Seja inocente de qualquer desperdício de tempo, respiração, palavras e atos. Assim você naturalmente experimentará um estado divino de ser e proporcionará aos outros essa experiência também.
(Brahma Kumaris)

sábado, 27 de junho de 2015

Palavras




O que me dói não é
O que há no coração
Mas essas coisas lindas
Que nunca existirão...

(Fernando Pessoa)

Porque hoje é sábado



O mundo meu é pequeno, Senhor.
Tem um rio e um pouco de árvores.
Nossa casa foi feita de costas para o rio.
Formigas recortam roseiras da avó.
Nos fundos do quintal há um menino e suas latas
maravilhosas.
Todas as coisas deste lugar já estão comprometidas
com aves.
Aqui, se o horizonte enrubesce um pouco, os
besouros pensam que estão no incêndio.
Quando o rio está começando um peixe,
Ele me coisa
Ele me rã
Ele me árvore.
De tarde um velho tocará sua flauta para inverter
os ocasos.
(Manoel de Barros )