terça-feira, 17 de abril de 2018

Palavras


O homem tem dois olhos, disse o místico medieval Angelus Silésius. 
Com um ele vê as coisas que passam no tempo. Com o outro ele vê o que é eterno e divino.

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Luz da semana



[…]Amadurecer auxilia na tarefa de ver melhor a realidade, e não é uma catástrofe.
Ler ajuda.Abrir os olhos para o belo e o positivo ajuda. Amar e ser amado ajuda.
Terapia ajuda.

No mínimo, ajudará a mantermos a cabeça à tona d’água em lugar de nos afogarmos na autocomiseração. Reinventar-se inteiramente é impossível: o contorno dessas margens, o terreno de que são feitas está estabelecido. Trazemos uma chancela na alma – mas podemos redefinir seus limites.
Quem sabe mudamos as cores aqui, ali abrimos uma clareira e erguemos um abrigo.[…]
(Lya Luft)

domingo, 15 de abril de 2018

Pensamentos daqui e dali



No anseio da luz, sentei-me aos pés de mestres, consultei livros de sabedoria, visitei lugares santos e busquei por toda parte.
Encontrei uma seta que apontava para mim mesmo e quando a busquei em meu íntimo – onde sempre havia estado à minha espera – ali a encontrei!
Só depois desta descoberta passei a ver a luz nos instrutores, nos livros e em todos os lugares.
(James D. Freeman)

Para aquecer o coração

sábado, 14 de abril de 2018

Porque hoje é sábado



Li hoje quase duas páginas
Do livro dum poeta místico,
E ri como quem tem chorado muito.
Os poetas místicos são filósofos doentes,
E os filósofos são homens doidos.
Porque os poetas místicos dizem que as flores sentem
E dizem que as pedras têm alma
E que os rios têm êxtases ao luar.
Mas flores, se sentissem, não eram flores,
Eram gente;
E se as pedras tivessem alma, eram cousas vivas,
não eram pedras;
E se os rios tivessem êxtases ao luar,
Os rios seriam homens doentes.
É preciso não saber o que são flores e pedras e rios
Para falar dos sentimentos deles.
Falar da alma das pedras, das flores, dos rios,
É falar de si próprio e dos seus falsos pensamentos.
Graças a Deus que as pedras são só pedras,
E que os rios não são senão rios,
E que as flores são apenas flores.
Por mim, escrevo a prosa dos meus versos
E fico contente,
Porque sei que compreendo a Natureza por fora;
E não a compreendo por dentro
Porque a Natureza não tem dentro;
Senão não era a Natureza.

(Alberto Caeiro)


quinta-feira, 12 de abril de 2018

Contando um conto



Um dia, a Escuridão se apresentou diante de Deus, com lágrimas nos olhos e disse;
Mesmo nunca tendo me encontrado com o Sol, ele sempre me persegue aonde quer que eu vá. Por que ele me persegue?
Deus chamou o Sol e lhe perguntou: Por que você persegue a Escuridão?
O Sol disse: Quem é a Escuridão?

quarta-feira, 11 de abril de 2018

Coisas d'alma






Não qualifico as pessoas pela religião que professam. Prefiro me ater a bondade que promovem.

(Fábio de Melo)