sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Tudo a seu tempo



Quanto tempo demora? - perguntou ele. - Não sei. Um pouco.
Sohrab deu de ombros e voltou a sorrir, desta vez era um sorriso mais largo.
- Não tem importância. Posso esperar. É que nem maçã ácida.
- Maçã ácida?
- Um dia, quando eu era bem pequenininho mesmo, subi em uma árvore e comi uma daquelas maçãs verdes, ácidas. Minha barriga inchou e ficou dura feito um tambor. Doeu à beça. 
A mãe disse que, se eu tivesse esperado as maçãs amadurecerem, não teria ficado doente. 
Agora, quando quero alguma coisa de verdade tento lembrar do que ela disse sobre as maçãs.

(trecho O Caçador de Pipas)

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Ligações



A vossa existência atual é, em grande parte, determinada pela natureza das ligações que tecestes ao longo das vossas existências anteriores. Sim, as dificuldades e os tormentos, tal como as satisfações e os sucessos que agora encontrais, tanto na vossa vida física como na vossa vida psíquica, vêm de todos esses laços visíveis e invisíveis que tecestes no passado.
Sabendo isso, deveis mostrar-vos vigilantes e ter muito cuidado com as ligações que estais a estabelecer no presente, pois, conscientemente ou não, todos os dias, sem parar, cada pessoa entra em relação não só com seres humanos, mas também com entidades invisíveis, com a natureza, com todo o universo.
E pensai em rever também as relações que já estabelecestes nesta vida: identificai as que são boas, para as manterdes, as reforçardes, e aquelas que são más, para as cortardes.

(Omraam Mikaël Aïvanhov)

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

(Res)pingos de luz



[Retirado do caderno de anotações do Prof. Antônio Costa, nosso pai.]                     

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Processo do despertar



O processo do despertar é um movimento em direção ao real. 
Para que isso aconteça, inevitavelmente, o falso precisa ser destruído. Isso não é fácil. 
O que é fácil ou difícil está intimamente relacionado com o apego ao que está indo embora. Muitas vezes, você acha que as paredes que estão caindo são as paredes da sua casa, mas são as paredes de uma prisão.
 (Sri Prem Baba)

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Luz da semana

A prática é definitivamente imprescindível.
Podeis vos assentar e escutar-me, uma hora, diariamente, mas se não praticais, não dareis um só passo adiante. 
Depende, tudo, da prática. Nunca entenderemos estas coisas enquanto não fizermos a experiência. Temos de vê-las, senti-las, nós mesmos.
Somente ouvir explicações e teorias não basta.

(Swami Vivekananda)


sábado, 25 de janeiro de 2014

Dia de ser feliz!



Desejo que tudo o que mais lhe importa floresça.
Que cada florescimento seja tão risonho e amoroso que atraia os pássaros com o seu canto, as borboletas com as suas cores, o toque do sol com seu calor mais terno, e a chuva que derrama de nuvens infladas de paz. Desejo que, mais vezes, além de molhar só os pés, você possa entrar na praia da poesia da vida com o coração inteiro e brincar com a ideia que cada onda diz.
(Ana Jácomo)

Fábio, que teu aniversário seja feliz, que todas as coisas boas da vida estejam na tua realidade!

Porque hoje é sábado



Por muitas vidas vi passar o frígido inverno e a verde primavera.
Aprisionado em minha pequena alcova,
Eu não via a árvore inteira e todo o céu
Para mim, era aquela a Verdade.
Com a ação destruidora do tempo,
Minha janela cresceu.
E contemplei então
Um ramo com muitas folhas
E uma vasta expansão do céu, com muitas nuvens,
Esqueci a folha verde solitária e aquela nesga de imensidão azul.
Jurava que não existia a árvore, nem o céu imenso
Para mim, era aquela a Verdade.
Cansado da prisão,
Da estreita cela,
Revoltei-me contra minha janela,
Com os dedos a sangrar.
Arranquei tijolo após tijolo,
Contemplei então
A árvore inteira, seu tronco majestoso,
Seus ramos numerosos, suas miríades de folhas,
E uma imensa parte do céu.
Jurava que não existia outra árvore, nem outra parte do céu
Era aquela a Verdade.
Aquela prisão já não me retém,
Saí a voar, através da janela,
Ó amigo,
Agora contemplo todas as árvores e a vastidão do céu sem limites.
E embora eu viva em cada folha e em cada nesga do vasto céu azul,
Embora eu viva em cada prisão, a espreitar por estreitas frestas,
Sou livre.
Não! Nada mais me prenderá.
ESTA é a verdade.
(Krishnamurti)  

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Ser simples

 

É uma forma de sabedoria saber como permanecer simples, fundir tudo e se tornar pacífico. Nesse estado de consciência, o poder espiritual é acumulado automaticamente. Ser simples significa ser um bom exemplo para o mundo.
Quando nos tornamos simples, percebemos que a solução para tudo é permanecer pacíficos e felizes em todos os nossos relacionamentos. Simplicidade cria o estado de introversão, no qual não mais desperdiçamos tempo e energia nisso ou naquilo. Isso nos torna muito reais em nossas atitudes e comportamentos.
Qualquer desejo não preenchido sequer chega a aparecer em nós. Qualquer trabalho sob nossa responsabilidade é realizado com uma facilidade natural. Somos capazes de criar uma atmosfera na qual todos se sentem confortáveis. É como se o espelho interior se tornasse limpo, nos permitindo ver claramente o que devemos fazer.
A simplicidade nos permite ter coragem e fé, e é isso que cria o sucesso. A simplicidade nos permite desapegar de coisas velhas. A simplicidade nos permite sermos mais amorosos conosco e com os outros. E isso é o que desenvolve o auto-respeito. E, vivendo de um modo simples, a especialidade de cada um se torna clara e podemos facilmente ver o valor de cada um.
(Lao Tzu)

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Imortalidade




É certo, se isso lhe serve de consolação, que se antes de cada ato nosso nos puséssemos a prever todas as consequências dele, a pensar nelas a sério, primeiro as imediatas, depois as prováveis, depois as possíveis, depois as imagináveis, não chegaríamos sequer a mover-nos de onde o primeiro pensamento nos tivesse feito parar.
Os bons e os maus resultados dos nossos ditos e obras vão-se distribuindo, supõe-se que de uma forma bastante uniforme e equilibrada, por todos os dias do futuro, incluindo aqueles, infindáveis, em que já cá não estaremos para poder comprová-los, para congratular-nos, ou pedir perdão, aliás, há quem diga que isso é que é a imortalidade que tanto se fala.
(José Saramago)

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Luz interior

Se você tiver persistência, se encarar sua exploração interior com comprometimento, mais cedo ou mais tarde algo acontecerá. Você só tem de continuar cavando, tem de continuar lutando contra a escuridão. Logo você ultrapassará essa escuridão e entrará no reino da luz. E essa luz é a verdadeira luz, muito mais verdadeira do que a luz do sol ou da lua, pois todas as luzes que estão lá fora são passageiras; elas só existem por algum tempo. 
Mesmo o sol um dia se extinguirá. Não só as pequenas lamparinas esgotam seus recursos e se extinguem pela manhã; até mesmo o sol, com seus imensos recursos, morre um pouco a cada dia. Cedo ou tarde ele se tornará um buraco negro; morrerá e mais nenhuma luz se irradiará dele. Independentemente de quanto viva, o fato é que o sol não é eterno. 
A luz interior é eterna; ela não tem começo nem fim.
(Osho)


segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Luz da semana



Uma pessoa com um coração limpo sempre tenta fazer o melhor para aqueles com quem ela se relaciona. Ela não tem nada exceto virtude dentro de si. Ela desenvolve a capacidade de aceitar as pessoas como são e ignora os malfeitos. Por não se deixar influenciar negativamente ela faz o que é correto e mantém o equilíbrio na vida. Uma pessoa assim é doadora de felicidade para si e para os outros. Sua doação acontece através de ações e não de palavras.
(Brahma Kumaris)

sábado, 18 de janeiro de 2014

Porque hoje é sábado



O mar é uma coisa
a espuma, outra.
Esquece a espuma e contempla o mar noite e dia.
Tu olhas para a ondulação da espuma
e não para o poderoso mar.
Como barcos, somos jogados daqui para ali,
somos cegos, embora estejamos no brilhante oceano.
Ah! tu que dormes no barco do corpo,
tu vês a água; contempla a Água das águas!
Sob a água que tu vês há outra água que a move,
dentro do espírito há um espírito que o chama.
(Rumi)

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Simplicidade

A simplicidade é uma forma de leveza. Nas relações humanas ela faz a diferença. 
O que cultiva a simplicidade tem a facilidade de tornar leve o ambiente em que vive. Não cria confusão por pouca coisa; não coloca sua atenção no que é acidental, mas prende os olhos naquilo que verdadeiramente vale à pena.

(Pe. Fábio de Melo)


quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Através do sempre ...



Quando te lembro, já me sinto ao teu lado e acontece o milagre de desfazer a distancia. Meu coração abraça o teu. 
Amor sem fim.

O homem espiritual



O homem realmente espiritual não é um homem pacatamente virtuoso, uma alma dogmaticamente mansa e domesticada para encampar docilmente as crenças tradicionais. O homem integralmente espiritual é um intrépido aventureiro dos mundos ignotos, um genial sonhador do infinito, uma alma empolgada pela dinâmica inquietude metafísica dos insatisfeitos, dos insaciáveis, dos descontentes com o que “todos” sabem e fascinado pelo que todos ignoram...
O homem espiritual, surdo aos barulhos da turba-multa dos profanos e às teses dos catedráticos, escuta intensamente vozes do grande silêncio que principia além de todos os ruídos estéreis. E o que esse silêncio anônimo lhe sugere é mais sedutor do que tudo o quanto os discursos e os sermões dos sabidos e afamados possam lhe dizer.

(Huberto Rohden)

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

(Res)pingos de luz



[Retirado do caderno de anotações do Prof. Antônio Costa, nosso pai.]                     

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Caminho da luz



Depois de terdes começado a percorrer o caminho da luz, esforçai-vos por nunca voltar atrás. E, para se voltar atrás, o método mais seguro é estar vigilante nos mínimos atos da vida quotidiana.
É inútil conceber projetos nobres se eles não forem sustentados, alimentados, todos os dias por uma boa atitude interior e também por um bom comportamento exterior.
Cada pensamento, cada sentimento, cada ato, é importante. Vós deveis compreender bem que a vossa existência é não só uma continuidade, mas também uma totalidade em que cada elemento tem ligações secretas com todos os outros; nenhum está isolado. 
A vida quotidiana constitui a base sobre a qual vós constituís todos os vossos grandes projetos. 
Quer o vosso destino passe pela filosofia, pela arte, pela política, pela ciência ou pela espiritualidade, não basta conseguirdes adquirir competências nessas diferentes matérias, é toda a vossa vida que deve alimentar a vossa vocação.
(Omraam Mikhaël Aïvanhov)

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Luz da semana

A única maneira de mudar os outros é tratá-los com amor. 
Quando você tem amor por eles, naturalmente você desejará o melhor para eles. Então, seu desejo de mudá-los será para o bem deles e não para o seu próprio bem. 
Quando isso acontece, eles respondem rapidamente por seu amor não egoísta e você os verá mudando. 
Pense em uma pessoa que você gostaria que mudasse. Antes de pensar em mudá-la deixe que haja amor por ela em sua mente. Certifique-se de que a mudança que você quer ver nela é exclusivamente para o bem dela, sem outras intenções. 
Teste esse método e veja a mágica acontecer.
(Brahma Kumaris)


sábado, 11 de janeiro de 2014

Porque hoje é sábado



Vai, ano velho, vai de vez,
vai com tuas dívidas
e dúvidas, vai, dobra a ex-
quina da sorte, e no trinta e um,
à meia-noite, esgota o copo
e a culpa do que nem me lembro
e me cravou entre janeiro e dezembro.

Vai, leva tudo: destroços,
ossos, fotos de presidentes,
beijos de atrizes, enchentes,
secas, suspiros, jornais.
Vade retrum, pra trás,
leva pra escuridão
quem me assaltou o carro,
a casa e o coração.
Não quero te ver mais,
só daqui a anos, nos anais,
nas fotos do nunca-mais.

Vem, Ano Novo, vem veloz,
vem em quadrigas, aladas, antigas
ou jatos de luz moderna, vem,
paira, desce, habita em nós,
vem com cavalhadas, folias, reisados,
fitas multicores, rebecas,
vem com uva e mel e desperta
em nosso corpo a alegria,
escancara a alma, a poesia,
e, por um instante, estanca
o verso real, perverso,
e sacia em nós a fome
- de utopia.

Vem na areia da ampulheta com a
semente que contivesse outra se-
mente que contivesse outra
semente ou pérola
na casca da ostra
como se se outra
semente pudesse
nascer do corpo e mente
ou do umbigo da gente como o ovo
o Sol a gema do Ano Novo que rompesse
a placenta da noite em viva flor luminescente.

Adeus, tristeza: a vida
é uma caixa chinesa
de onde brota a manhã.
Agora é recomeçar.
A utopia é urgente.
Entre flores de urânio
é permitido sonhar.
(Affonso Romano de Sant'Anna)


sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Gratidão



Agradecer significa tomar o que me é dado, segura-lo com respeito nas mãos,
acolhe-lo dentro de mim, em meu coração, até que percebo internamente: agora é uma parte de mim.
Agradecer é também aplicar o que me foi dado e se tornou uma parte de mim, numa ação que permita a outros alcançar também o que me enriqueceu. Só então o que me foi dado alcança sua plenitude.
Agradecer me torna grande, pois quando agradeço tomo algo de outros como um presente. Isso me enriquece, porque o recebo. Ao mesmo tempo, o que recebo agradecido não pode ser perdido por mim. 
O agradecimento me permite conservá-lo e aumentá-lo. Ele atua como o sol e a chuva morna atuam sobre uma planta jovem. Ela floresce.
O agradecimento une e faz com que nossos relacionamentos floresçam pois, de bom grado, se dá a quem agradece. Por seu lado, quem recebe agradecido torna-se interiormente aberto e não pode deixar de dar e passar adiante o que recebeu com gratidão. 
Assim, o agradecimento nos torna felizes e enriquece a ambos.
Quem agradece, honra o que lhe foi dado e, simultaneamente, honra aqueles que lhe presentearam. 
Assim, o agradecimento engrandece a todos: a mim, a dádiva e ao doador.

 (Bert Hellinger)

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

A arte de ser feliz



Houve um tempo em que a minha
janela se abria para um chalé.
Na porta do chalé brilhava
um grande ovo de louça azul.
Neste ovo costumava pousar
um pombo branco.
Ora, nos dias límpidos,
quando o céu ficava da mesma
cor do ovo de louça,
o pombo parecia pousado no ar.
Eu era criança,
achava essa ilusão maravilhosa e
sentia-me completamente feliz.
Houve um tempo em que a minha
janela dava para um canal.
No canal oscilava um barco.
Um barco carregado de flores.
Para onde iam aquelas flores?
Quem as comprava?
Em que jarra... em que sala,
diante de quem brilhavam,
na sua breve experiência?
E que mãos as tinham criado?
E que pessoas iam sorrir de
alegres ao recebê-las?
Eu não era mais criança,
porém minha alma ficava
completamente feliz.
Houve um tempo em que a minha
janela se abria para um terreiro,
onde uma vasta mangueira
alargava sua copa redonda.
À sombra da árvore, numa esteira,
passava quase o dia todo sentada
uma mulher, cercada de crianças.
E contava histórias.
Eu não podia ouvir, da altura da janela,
e mesmo que a ouvisse, não entenderia,
porque isso foi muito longe,
num idioma difícil.
Mas as crianças tinham tal expressão
no rosto, e às vezes faziam com as mãos arabescos tão compreensíveis, que eu participava do auditório, imaginava os assuntos e suas peripécias e me sentia completamente feliz.
Houve um tempo em que na minha janela havia um pequeno jardim seco.
Era um tempo de estiagem,
de terra esfarelada,
e o jardim parecia morto.
Mas todas as manhãs vinha um pobre
homem com um balde e em silêncio,
ia atirando com a mão umas gotas
de água sobre as plantas.
Não era uma rega:
era uma espécie de aspersão ritual,
para que o jardim não morresse.
E eu olhava para as plantas,
para o homem, para as gotas de
água que caíam de seus dedos magros
e meu coração ficava
completamente feliz.
Mas, quando falo dessas pequenas
felicidades certas, que estão diante
de cada janela, uns dizem que essas
coisas não existem, outros que só
existem diante das minhas janelas
e outros finalmente, que é preciso
aprender a olhar, para poder vê-las assim.
(Cecília Meireles)



Para Clara, desejando que sua vida sempre se abra para janelas que mostrem o mais feliz, o mais bonito!

Feliz aniversário, com amor.

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

O biscoito da minha infancia



Quando eu tinha quatro anos de idade, minha mãe costumava me trazer um biscoito cada vez que voltava do mercado para casa. Eu ia então para a frente de casa e levava um bom tempo para comê-lo, às vezes meia hora ou quarenta e cinco minutos para um biscoito. Eu dava uma mordidinha e olhava para o céu. Depois, roçava o cachorro com meus pés e dava mais uma mordidinha, Eu simplesmente gostava de estar ali, com o céu, a terra, os bambuzais, o gato, o cachorro, as flores. 
Conseguia agir assim porque não tinha muito com que me preocupar. Não pensava no futuro, nem lamentava o passado. Estava inteiramente no momento presente, com meu biscoito, o cachorro, os bambuzais, o gato e tudo o mais.      

Talvez você tenha a impressão de ter perdido o biscoito da sua infância, mas eu tenho certeza de que ele ainda está aí em algum canto do seu coração. Tudo ainda está aí.     
                                                        
(Thich Nhat Hanh)

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Pensamentos daqui e dali



A partir de agora, desligue-se do passado. Comece a contar a vida a partir deste momento. Daqui a um ano, você terá um ano de idade.A vida que passou antes foi apenas um fenômeno onírico. Agora você tem de acordar, tem de ficar mais alerta, mais atento, mais consciente.
Quando você começa a se tornar mais consciente, torna-se também mais amoroso, mais feliz, mais divino. Pela primeira vez você começa a sentir que a vida é uma grande dádiva, uma bênção de Deus.E uma grande gratidão desperta em seu coração. 
Essa é a verdadeira oração.
(Osho)