quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Por que estamos aqui?




Não é nenhuma novidade que dinheiro, viagens, status, beleza e outras coisinhas mundanas são sonhos de consumo de muita gente, mas não dão sentido à vida de ninguém.
A única coisa que justifica nossa existência são as relações que a gente constrói. Só os afetos é que compensam a gente percorrer uma vida inteira sem saber de onde viemos e para onde vamos.
Diante da pergunta enigmática - por que estamos aqui? - só nos consola uma resposta: para dar e receber abraços, apoio, cumplicidade, para nos reconhecermos um no outro, para repartir nossas angústias, sonhos, delírios.
Para amar, resumindo.
(Martha Medeiros)

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Pensamentos daqui e dali



Acalme seu espírito, e busque de novo a fonte de onde tudo nasce, removendo qualquer vestígio de maldade ou egoísmo.
Se você ficar muito preocupado em descobrir o que há de bom ou de mau em seu próximo, irá esquecer de sua própria alma, e será exaurido e derrotado pela energia que gastou ao julgar os outros.
A vida é uma manifestação de amor e um guerreiro deve estar mais concentrado em promover a paz do que em provocar o combate.
(P. Coelho)

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Entre aspas



Dança, como se ninguém estivesse assistindo,
Ama, como se jamais tivesses sido magoado antes,
Canta, como se ninguém pudesse ouvir-te,
Trabalha, como se não precisasses de dinheiro,
Vive, como se o céu estivesse na terra.
(Rumi)

Luz da semana



As coisas muito grandiosas tomam forma através do silêncio, solitude e tolerância. Tolerância é a habilidade de acomodar diferentes opiniões e indiferentes atitudes, mantendo o autorrespeito e respeitando os outros. 
Para reforçar o hábito da tolerância, procure ter uma mente aberta em relação a tudo. Procure entender que cada ser humano possui, dentro de si uma bagagem de conceitos, experiências e memórias absolutamente singulares. A tolerância é o poder que valoriza essas histórias pessoais, com respeito e amor. 
Onde houver tolerância em uma tarefa ou relacionamento, haverá sucesso.
(Brahma Kumaris)

domingo, 28 de agosto de 2016

Coisas d'alma



Alguns relacionamentos serão bênçãos, outros irão servir como lições.
De qualquer maneira, nunca se arrependa de conhecer alguém.
Todo mundo que você encontrar ensina algo importante.
Algumas pessoas vão testá-lo, alguns vão usá-lo, e alguns vão ensiná-lo; mas, o mais importante, alguns vão trazer para fora o melhor em você.

Para aquecer o coração

sábado, 27 de agosto de 2016

Porque hoje é sábado



Dentro deste mundo há um outro mundo impermeável às palavras.
Nele, nem a vida teme a morte, nem a primavera dá lugar ao outono.
Histórias e lendas surgem dos tetos e paredes, até mesmo as rochas e árvores exalam poesia.
Aqui, a coruja transforma-se em pavão; o lobo, em belo pastor.
Para mudar a paisagem, basta mudar o que sentes;
E se queres passear por esses lugares, basta expressar o desejo.
Fixa o olhar no deserto de espinhos.
- Já é agora um jardim florido!
Vês aquele bloco de pedra no chão?
- Já se move e dele surge a mina de rubis!
Lava tuas mãos e teu rosto nas águas deste lugar, que aqui te preparam um fausto banquete.
Aqui, todo ser gera um anjo; e quando me veem subindo aos céus, os cadáveres retornam à vida.
Decerto viste as árvores crescendo da terra, mas quem há de ter visto o nascimento do Paraíso?
Viste também as águas dos mares e rios, mas quem há de ter visto nascer de uma única gota d'água uma centúria de guerreiros?
Quem haveria de imaginar essa morada, esse céu, esse jardim do paraíso?
Tu, que lês este poema, traduze-o. Diz a todos o que aprendeste sobre este lugar.
(Rumi)

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

O sol está lá



Acredito que a natureza humana é essencialmente amorosa e que quando não demonstramos isso é porque há nuvens muito espessas escondendo o nosso sol. Nuvens de medo, dor, raiva, confusão.
Mas o sol está lá, preservado, o tempo todo. Em algumas pessoas, mais do que em outras, parece que as nuvens demoram muito tempo a se dissipar, é verdade. Às vezes, podem até não dissipar durante uma vida inteira, é verdade também.
Mas, à medida em que começamos a abrir o nosso coração, é inevitável não sentir que ser amáveis e cuidadosos uns com os outros não é um favor, uma concessão. Inevitável não sentir que o gostinho bom de dar amor é tão saboroso quanto o de recebê-lo.
(Ana Jácomo)

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Contando um conto



Um jovem advogado foi indicado para inventariar os pertences de um senhor recém falecido. Segundo o relatório do seguro social, o idoso não tinha herdeiros ou parentes vivos. Suas posses eram muito simples. O apartamento alugado, um carro velho, móveis baratos e roupas puídas.
Como alguém passa toda a vida e termina só com isso?, pensou o advogado. Anotou todos os dados e ia deixando a residência quando notou um porta-retratos sobre um criado mudo.
Na foto estava o velho morto. Ainda era jovem, sorridente, ao fundo um mar muito verde e uma praia repleta de coqueiros. À caneta escrito bem de leve no canto superior da imagem lia-se “sul da Tailândia”. Surpreso, o advogado abriu a gaveta do criado e encontrou um álbum repleto de fotografias. Lá estava o senhor, em diversos momentos da vida, em fotos em todo canto do mundo.
Em um tango na Argentina, na frente do Muro de Berlim, em um tuk tuk no Vietnã, sobre um camelo com as pirâmides ao fundo, tomando vinho em frente ao Coliseu, entre muitas outras. Na última página do álbum um mapa, quase todos os países do planeta marcados com um asterisco vermelho, indicando por onde o velho tinha passado. Escrito à mão no meio do Oceano Pacífico uma pequena poesia:
Não construí nada que me possam roubar.
Não há nada que eu possa perder.
Nada que eu possa tocar,
Nada que se possa vender.

Eu que decidi viajar,
Eu que escolhi conhecer,
Nada tenho a deixar
Porque aprendi a viver.

Abraço!

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Tudo está perfeito



Você ficou de pé durante o dia todo. Suas pernas doem...
Você precisa comer. Você está em uma longa fila de espera para comprar seus bilhetes de trem, e eles acabam de anunciar que o seu trem está atrasado.
Você sente uma montanha de frustração, impaciência, irritação, e até mesmo agressão. Você reage; quer chorar, quer largar tudo.
Uma pessoa demora demais na máquina de bilhetes; as crianças gritam ao seu lado; tudo te irrita, a sujeira, o barulho e a incapacidade de controlar as coisas.
Sem tempo, sem sorte, sem fôlego.
Seus pensamentos girando, sem parar. Ai que dia terrível!
Que mundo terrível! Que piada!
E mais e mais... A respiração!
De repente você se lembra, que está respirando. E a respiração é agora! E há somente agora!
E você sente seus pés cansados ​​em vez de pensar sobre eles.
Você dá-lhes um pouco de atenção, com amor.
E você sente a frustração em seu peito, ao invés de tentar excluí-la.
E você sente o peso do seu corpo, do jeito que repousa suavemente na gravidade, apoiado pela terra sagrada.
E você sente sua barriga se expandir lentamente, levantando-se na inspiração, e abaixando na expiração; E todos os sons ao seu redor são agora inocentes; você é um microfone.
E os pensamentos zumbindo ao redor, eles são apenas pequenos pássaros, batendo de distância. E está tudo ok! Está tudo ok! É tudo um grande presente!
E você encontra a gratidão novamente.
Você está vivo, e lhe foi dado mais um dia.
Um dia para viver.
Um dia para respirar, e saborear a vida, saborear a alegria e a tristeza dele, a felicidade e o tédio, a frustração e a corrida e o zumbido, a tolice e o caos dele. Tudo. Tudo em um dia.
Você já se rendeu, relaxou...E está recebendo o seu bilhete, pegando seu trem, indo para casa, confiando que de alguma maneira - que nunca saberemos - tudo está absolutamente perfeito.
(Jeff Foster)

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Palavras



A lei de ouro do comportamento é a tolerância mútua.
Já que nunca pensaremos todos da mesma maneira, já que nunca veremos senão uma parte da verdade e sob ângulos diversos.

(Mahatma Gandhi)

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Luz da semana









A felicidade não está na periferia da tua vida. 
Está no centro do teu ser.
(Huberto Rohden)

sábado, 20 de agosto de 2016

Porque hoje é sábado



Quem de nós tem a coragem
de aceitar a sua imagem,
aquela imagem sem graça,
sem rasgos, imagem baça
que o espelho teima em refletir?
Quem de nós tem a ousadia,
no viver do dia a dia,
de retirar a mordaça
gritando ao vento que passa
o seu interno sentir?
Quem deixa cair a máscara?
Fantasia construída
de cada um para si.
Máscara de rei, de profeta,
de intelectual, de poeta,
de homem muito importante
que não esquece a cada instante
o gesto, o sorrir conveniente,
a venia subserviente,
que nunca o desmascara.
Quem deixa cair a máscara?
(Helena Guimarães)

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Pensamentos daqui e dali



Simplicidade, simplicidade, simplicidade! Tenha dois ou três afazeres e não cem ou mil; em vez de um milhão, conte meia dúzia…
No meio desse mar agitado da vida civilizada há tantas nuvens, tempestades, areias movediças e mil e um itens a considerar, que o ser humano tem que se orientar – se ele não afundar e definitivamente acabar não fazendo sua parte – por uma técnica simples de previsão, além de ser um grande calculista para ter sucesso.
Simplifique, simplifique.
(Henry David Thoreau)

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Contando um conto



Um dia morreu o guardião de um mosteiro Zen.
Para descobrir quem seria a nova sentinela, o mestre convocou os discípulos e disse:
- O primeiro que conseguir resolver o problema que eu vou apresentar assumirá o posto.
Então, numa mesa que estava no centro da sala, colocou um vaso de porcelana muito raro, com uma rosa amarela de extraordinária beleza. E disse apenas: - Aqui está o problema!
Todos ficaram olhando a cena: o vaso belíssimo, de valor inestimável, com a maravilhosa flor ao centro! O que representaria? O que fazer? Qual o enigma? De repente um dos discípulos saca da espada, olha para o mestre, dirigi-se para o centro da sala e... zazzz! Com um só golpe destruiu tudo.
 - Você é o novo guardião!. Não importa que o problema seja algo lindíssimo.
Se for um problema, precisa ser eliminado.

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

A forma da felicidade



Nossas noções sobre a felicidade nos aprisionam. Esquecemos que elas são apenas ideias. A nossa ideia de felicidade pode nos impedir de ser realmente feliz. Nós não vemos a oportunidade de alegria que está bem na frente de nós, quando estamos presos em uma crença de que a felicidade deve assumir uma forma particular.
(Thich Nhat Hanh)

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Coisas d'alma



Nada é mais debilitante que se preocupar com algo pelo qual você não pode fazer nada.
E você não pode fazer nada em relação a seus filhos adultos.
Você pode querer o melhor para eles, e talvez até mesmo começar a prover algo a eles, mas, a longo prazo não há como você fazer algo em relação à vibração da outra pessoa, exceto mantê-la na melhor luz que você puder, mentalmente, e então, projetar esta luz para ela.
E às vezes a distância torna isso mais possível do que estando perto deles.
(Abraham)

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Luz da semana



É essencial dar tempo para observar o que acontece na mente, caso contrário, nossos pensamentos, que são nossa criação, podem ter controle sobre nós. 
A chave é saber quem é que está criando, sentindo e levando consigo esses pensamentos. Enquanto os cientistas encontram respostas sobre o mundo exterior, precisamos nos voltar para a espiritualidade para conhecer o eu interior. Sou uma alma, um ser eterno, aquele que cria os pensamentos, processa-os em palavras e ações e vivencia seus resultados. 
Eu não sou os pensamentos.

(Brahma Kumaris)

sábado, 13 de agosto de 2016

Porque hoje é sábado



Pai, dizem-me que ainda te chamo, às vezes, durante
o sono - a ausência não te apaga como a bruma
sossega, ao entardecer, o gume das esquinas.
Há nos meus sonhos um território suspenso de toda a dor,
um país de verão aonde não chegam as guinadas
da morte e todas as conchas da praia trazem pérola.
Aí nos encontramos, para dizermos um ao outro aquilo
que pensámos ter, afinal, a vida toda para dizer; aí te
chamo, quando a luz me cega na lâmina do mar, com
lábios que se movem como serpentes, mas sem nenhum
ruído que envenene as palavras: pai, pai.
Contam-me depois que é deste lado da noite que me ouvem gritar
e que por isso me libertam bruscamente do cativeiro
escuro desse sonho.
Não sabem que o pesadelo é a vida onde já não posso dizer o teu
nome - porque a memória é uma fogueira dentro
das mãos e tu onde estás também não me respondes.
(Maria do Rosário Pedreira)

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Coisas d'alma



Antes de agir você tem liberdade mas, depois de agir, o efeito da ação o seguirá quer você queira ou não. 
Esta é a lei do carma. 
Você é um agente livre mas, quando realiza certa ação, você colherá os resultados dela.
(Yogananda)

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Contando um conto



Era uma vez, um cientista que vivia preocupado com os problemas do mundo e decidido a encontrar meios de melhorá-los. Passava dias e dias no seu laboratório à procura de respostas.
Um dia, o seu filho de sete anos invadiu o seu santuário querendo ajudar o pai a trabalhar. Claro que o cientista não queria ser interrompido e, por isso, tentou que o filho fosse brincar em vez de ficar ali a atrapalhá-lo. Mas, como o menino era persistente, o pai teve de arranjar forma de entretê-lo, ali mesmo no laboratório. Foi então que reparou num mapa do mundo que vinha numa página de uma revista. Lembrou-se de cortar o mapa em vários pedaços e depois apresentou o desafio ao pequenote:
- Filho, vais ajudar-me a consertar o mundo! Aqui está o mundo todo partido. E tu vais arranjá-lo para que ele fique bem outra vez! Quando terminares chamas-me, ok?
O cientista estava convencido que a criança levaria dias a resolver o quebra-cabeças que ele tinha construído. Mas surpreendentemente, poucas horas depois, o filho já chamava por ele:
- Pai, pai, já fiz tudo. Consegui consertar o mundo!
O pai não queria acreditar, achava que era impossível um miúdo daquela idade ter conseguido montar o quebra-cabeças de uma imagem que ele nunca tinha visto antes. Por isso, apenas levantou os olhos dos seus cálculos para ver o trabalho do filho que, pensava ele, não era mais do que um disparate digno de uma criança daquela idade. Porém, quando viu o mapa completamente montado, sem nenhum erro, perguntou ao filho como é que ele tinha conseguido sem nunca ter visto um mapa do mundo anteriormente.
- Pai, eu não sabia como era o mundo, mas quando tiraste o papel da revista para recortar, eu vi que do outro lado havia a figura de um homem. Quando me deste o mundo para eu consertar, eu tentei mas não consegui. Foi aí que me lembrei do homem, virei os pedaços de papel ao contrário e comecei a consertar o homem que eu sabia como era. Quando consegui consertar o homem, virei a folha e vi que tinha consertado o mundo.

Santa Clara, clareai








Somente a alma, na sua linguagem silenciosa,
consegue fazer o que sentimos.
(Santa Clara de Assis)

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Entre aspas



Comprei uns óculos novos,
óculos dos mais excelentes.
Não tem aros, não tem asas,
não tem grau e não tem lentes.
(Guimarães Rosa)

Curve-se!

 (Foto da Val Kuhn)

A oração nada tem a ver com o que se conhece no mundo como oração.
A verdadeira oração não é um ritual.
A verdadeira oração não tem a ver
com igreja, templo ou mosteiro.
A verdadeira oração não é cristã, nem hindu, nem maometana.
A verdadeira oração nada tem a ver com as palavras, ela não é verbal.
É a Gratidão Silenciosa.
É uma reverência silenciosa à existência.
Portanto, esteja onde estiver,
sempre que você sentir vontade de se curvar
em reverência à terra, às árvores, ao céu,
Curve-se.
Essa reverência ajudará você a
lentamente, lentamente, desaparecer.
A oração é um dos melhores métodos
para destruir o ego.
E, quando o ego se vai, fica Deus.
É o ego que esconde Deus em uma nuvem escura.
Quando a nuvem se dissipa, o sol brilha em toda a sua glória,
beleza, grandeza, esplendor.
(Osho)

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Palavras





Quando vertes tua energia para auxiliar, tem de haver um resultado, quer possas vê-lo, quer não; se conheces a Lei sabes que deve ser assim.
Portanto, deves agir certo por amor ao certo, não pela esperança de recompensa; deves trabalhar por amor ao trabalho, não pela esperança de ver o resultado; deves entregar-te ao serviço do mundo porque o amas e porque não podes deixar de entregar-te a ele.
(Krishnamurti)

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Luz da semana



Para onde for sua atenção é ali que a vida irá crescer. Assim você cria as circunstâncias que virão ao seu encontro. 
Pergunte a si mesmo: o que me esvazia e o que me preenche? 
Desvie a atenção das áreas que drenam seu poder. Descubra o que faz seu coração bater mais forte e coloque sua energia naquilo. Descubra seu propósito e essa será a sua paixão. 
Então não haverá tempo para que ervas daninhas reivindiquem sua atenção.
(Dadi Janki)

sábado, 6 de agosto de 2016

Porque hoje é sábado



Hoje de manhã saí muito cedo,
Por ter acordado ainda mais cedo
E não ter nada que quisesse fazer...
Não sabia por caminho tomar
Mas o vento soprava forte, varria para um lado,
E segui o caminho para onde o vento me soprava nas costas.
Assim tem sido sempre a minha vida, e
assim quero que possa ser sempre —
Vou onde o vento me leva e não me
Sinto pensar.
(Alberto Caeiro)
 

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Fim do mundo



Todos os dias eu me deparo com algum fim de mundo.
O mundo acaba diariamente. E a culpa é toda nossa. Do nosso egoísmo, da nossa maldade, do nosso ego exacerbado e supervalorizado, da nossa hipocrisia. 
O mundo acabou faz tempo. Acabou quando deixamos de nos importar com o outro. Quando perdemos a gentileza e o respeito pelo outro. Quando torna-se mais importante rir do outro do que sentir o que ele sente. E todo mundo, absolutamente todo mundo tem o seu quinhão de culpa nessa merda que as coisas estão. Está tudo assim, ruim, porque reflete nossa feiura e toda a nossa lama. 
O mundo acabou faz tempo. Acaba todos os dias.
Nós é que não percebemos porque estamos cegos demais, ocupados em julgar ao invés de acolher, entender, respeitar. O verdadeiro holocausto vive dentro de nós. E ninguém parece preocupado em levantar bandeiras brancas. É bom que saibamos: quanto mais egoísmo, quanto mais dedos apontados, mais cruéis e menos humanos nos tornamos. E um mundo assim, retrógrado e mau merece mesmo a extinção. O mundo não. Nós.
(Van Luchiari)

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Entre aspas

Seja comum, seja simples, seja você quem for. 
Não há necessidade de ser importante, a única necessidade é de ser real. 
Ser real é existencial. Ser importante é viagem do ego.

(Osho)