sábado, 31 de dezembro de 2016

Porque hoje é sábado



Há algumas coisas que somente os pássaros e as crianças sabem, e todos estes seguidores de doutrinas, todos estes que acreditam que alguma palavra infalível resolverá a questão da vida para eles, jamais saberão de toda esta brincadeira.
O ninho que eu defendo, incondicionalmente, como o pássaro louco que vai bicar o gigante, é o ninho da liberdade!
No topo de todas as árvores do mundo há um ninho semelhante. Mas somente as crianças os viram, de relance, em meio ao pique esconde. 
Há pássaros que vêm e vão, de vez em quando, entre eras, para semear a terra com as sementes de cada ninho desses...
Na Rua dos Pensadores os ninhos não têm ovos, mas sementes de um novo pensamento. 
Se um pássaro louco vier lhe bicar, não fique revoltado: às vezes, ele pode estar apenas lhe trazendo uma nova experiência.
(Rafael Arrais)

Que o Ano Novo chegue iluminando nossas vidas e preenchendo nossos corações com paz e alegria!

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Palavras




A felicidade perfeita
Não haverá de visitar-nos amanhã
A menos que nossos corações
Repousem hoje nela.
Não há paz futura
Que não esteja oculta
No fugaz momento presente.
Às vezes, sente-se
Que a felicidade
Está sendo obscurecida
Pelo próprio mundo.
Mas a tristeza não é
Senão uma nuvem escura.
Atrás dela,
Ao nosso alcance,
Está a felicidade perfeita.
Podemos vivê-la se soubermos
Sentir e conhecer o Ser.
E, por isso, é necessário
Manter-se em silêncio,
Meditar e devocionar.
Não podemos aceitar
Os momentos de alegria
Como simples momentos.
Eles guardam
A divina essência.
O Ser é eternamente bondoso
E de amor sem fim,
Mas os dons que ele nos doa,
Julgamo-los
Pelo aspecto externo.
Em tudo que existe
Está sempre
O Supremo e Divino Ser.
Apresse-se para sentir
A presença do Ser Supremo.
Liberte as veias
Do curso do sangue.
Entreabra os olhos
E deixe entrar a luz.
Procure a sua essência
Em si mesmo
E depois tome consciência
Do seu próprio Ser.
(Sri Maha Krishna Swami)

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Luz da semana



Pode ser realmente difícil ver a luz em tudo – encontrar bondade e crescimento em tudo que cruza nosso caminho.
Contudo, essa é a tarefa que assumimos por meio de nosso trabalho espiritual: procurar a lição na dor, ver um outro indivíduo e descobrir o que está certo, em vez do que está errado, ver o copo meio cheio em vez de meio vazio.
Não estamos aqui neste mundo para corrigir nossa raiva ou nosso egoísmo e nem mesmo as palavras que empregamos para ferir os outros.
Essas correções são importantes, mas nosso verdadeiro propósito é nos levarmos a um lugar onde entendamos – profundamente e sem questionamento – que nosso mundo, e tudo nele, é determinado por nossa consciência.
Uma consciência positiva é aquela que escolhe ver a luz em tudo.
Quando vemos apenas a luz, a luz é a única coisa que vivenciamos.
(Karen Berg)

sábado, 24 de dezembro de 2016

Porque hoje é sábado



É preciso esperar contra a esperança.
Esperar, amar, criar
contra a esperança
e depois desesperar a esperança
mas esperar,
enquanto um fio de água, um remo,
peixes
existem e sobrevivem
no meio dos litígios;
enquanto bater a máquina de coser
e o dia dali sair
como um colete novo.
É preciso esperar
por um pouco de vento,
um toque de manhãs.
E não se espera muito.
Só um curto-circuito
na lembrança. Os cabelos,
ninhos de andorinhas
e chuvas. A esperança,
cachorro
a correr sobre o campo
e uma pequena lebre
que a noite em vão esconde.
O universo é um telhado
com sua calha tão baixo
e as estrelas, enxame
de abelhas na ponta.
É preciso esperar contra a esperança
e ser a mão pousada
no leme de sua lança.
E o peito da esperança
é não chegar;
seu rosto é sempre mais.
É preciso desesperar
a esperança
como um balde no mar.
Um balde a mais
na esperança.
Um balde a mais
contra a esperança
e sobre nós.
(Carlos Nejar)

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Contando um conto



Era uma vez um pobre sapateiro que vivia numa cabana, na encruzilhada de um caminho, perto de um pequeno e humilde povoado. Como era um homem bom e queria ajudar os viajantes, que à noite por ali passavam, deixava na janela da sua casa, uma vela acesa todas as noites, de modo a guiá-los. E apesar da doença e a fome, nunca deixou de acender a sua vela. 
Veio então uma grande guerra, e todos os jovens partiram, deixando a cidade ainda mais pobre e triste. 
As pessoas do povoado ao verem a persistência daquele pobre sapateiro, que continuava a viver a sua vida cheio de esperança e bondade, decidiram imitá-lo e, naquela noite, que era a véspera de Natal, todos acenderam uma vela em suas casas, iluminando todo o povoado. 

À meia-noite, os sinos da igreja começaram a tocar, anunciando a boa notícia: a guerra tinha acabado e os jovens regressavam às suas casas!
Todos gritaram: “É um milagre! É o milagre das velas!”. A partir daquele dia, acender uma vela tornou-se tradição em quase todos os povos, na véspera de Natal.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Pensamentos daqui e dali



Existe algo mais puro e grandioso do que as palavras ditas pela boca. 
O silêncio ilumina as nossas almas, sussurra aos nossos corações e os aproxima. O silêncio separa-nos de nós mesmos, leva-nos a planar no firmamento do espírito, e aproxima-nos do paraíso; faz-nos sentir que os corpos não são mais do que prisões e que este mundo é apenas um exílio.
(Khalil Gibran)

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Entre aspas



Lembre-se: as pessoas são como vitrais.
Cintilam e brilham quando está sol, mas, quando cai a escuridão,
revelam sua beleza só se houver uma luz dentro delas.

(Elizabeth Kubler-Ross)

Luz da semana



Já ouviu falar da impermanência?
Já diziam nossos avós, tudo passa, tudo passará...
A impermanência tem especial significado nos ensinamentos budistas, neles, muitas vezes divide-se para entendimento a impermanência do objeto, ou fenômeno, e também a impermanência do sujeito, ou do percebedor.
Melhor explicando, não dura para sempre, nem quem observa, nem quem é observado.
Você pode dizer, OK, e daí?
Aplique este conceito para certas coisas de sua vida.
Seu emprego, seu companheiro, seus filhos, seus pais e suas amizades são impermanentes. Não vão durar para sempre.
Agora parece que o assunto ficou denso, pesado, não.
Mas o ensinamento da impermanência não é tão negativo assim, pois senão seria niilista, isto é, não apontaria nada para se fazer, apenas uma completa aceitação.
A impermanência é um constante professor de nossas infinitas possibilidades e de nosso livre-arbítrio.
Como tudo é impermanente, ao fazermos este reconhecimento, percebemos bem de perto, que todas as coisas estão se transformando pouco a pouco. Suas mãos não são as mesmas mãos de 10 anos atrás. A constante transformação nos possibilita agir, direcionar, realizar algo para dar rumo a esta transformação.
Assim confirmamos o ensinamento: a colheita é obrigatória, mas a semeadura é opcional.
Podemos plantar a nossa colheita e gerar frutos de tranquilidade, compreensão e amor.
(Vitor Caruso Jr.)

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Pessoas tóxicas



Falar de pessoas tóxicas é algo muito complexo, pois elas não têm uma característica padrão. Muitas vezes, elas parecem aos olhos do mundo ótimas pessoas, dando apenas aos mais próximos a chance de conhecê-las profundamente.
Dessa forma, quando ficamos um longo tempo próximos de alguém que tem o poder de nos intoxicar, é comum que comecemos a ter dificuldades de discernimento, falta de ânimo, problemas psicológicos e físicos devido a somatização de problemas. Problemas que, à princípio, poderiam ser até mesmo pequenos, mais que se avolumaram devido ao contato com uma ou mais pessoas tóxicas.
Uma pessoa tóxica vai sentar ao seu lado e tentar provar que você não é capaz, vai torcer para você ser demitido, vai desejar que você seja tão vulnerável quanto ela. A pessoa tóxica vai te desmerecer e desmerecer aqueles que te amam de verdade. Vai sempre olhar para você e enxergar as piores coisas. A pessoa tóxica vai fingir que está ao seu lado, mas na verdade ela vai ser a primeira a puxar seu tapete quando você se desequilibrar. […]
Não aceite nada de pessoas tóxicas, até mesmo as boas intenções não são tão boas assim. Não aceite conselhos. Não atenda ligações ou responda mensagens. Não conte suas aflições a uma pessoa tóxica. O melhor a fazer é tomar distância delas. Viva sua vida da melhor forma possível, tenha fé na luz que existe em você, seja paciente com seus tropeços e acredite na força de seus passos. Todos nós caímos e todos nós temos a capacidade plena de nos levantar. Mas para isso precisamos, antes de mais nada, manter longe aqueles que fingem nos ajudar, que fingem nos amar, que fingem se importar conosco.
Só merecem estar ao nosso lado aqueles que nos amam de verdade. Na vida o amor de pessoas sinceras e o amor-próprio também nos cura.
Deixemos que as pessoas tóxicas sejam apenas uma vaga lembrança em nosso passado. A vida se encarrega do resto.
(Vanelli Doratioto)

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Contando um conto



Era uma vez o Eu, o Tu e o Ele que moravam na mesma rua, numa pequena cidade.
Cada um deles vivia numa linda casinha, muito confortável, com vista para o mar. Os três tinham uma boa vida pois nada lhes faltava: tinham boa comida, muitos brinquedos e uma caminha muito fofinha onde todas as noites se aconchegavam e sonhavam lindos sonhos.
Mesmo não tendo nada de mau nas suas vidas, o Eu, o Tu e o Ele sentiam que algo lhes faltava, mas não conseguiam descobrir o quê.
Numa linda manhã de sol, cada um deles saiu da sua casinha para dar um passeio, e coincidiu de se encontrarem, os três, à beira mar. Por um instante, ficaram a olhar uns para os outros espantados, pois nunca se tinham visto antes.
Então os três, curiosos em saber quem era cada um deles, começaram a falar todos ao mesmo tempo, perguntando uns aos outros, quem eram, onde viviam e quais eram as suas brincadeiras favoritas.
Depois de muita conversa, gargalhadas e brincadeiras, o Eu, o Tu e o Ele descobriram finalmente aquilo que lhes faltava… Eles precisavam de amigos! Precisavam de outros com quem pudessem partilhar os seus afetos, as suas conversas e brincadeiras.
A partir daí, o Eu, o Tu e o Ele, passaram a ser Nós, um grupo de amigos muito unidos e feliz!
(T. Santos)

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Coisas d'alma






Se nos rendêssemos à inteligência da terra poderíamos erguer-nos enraizados, como árvores. 
(Rainer Maria Rilke)

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Luz da semana



Para manter o pulso da paz, sinta-se confortável. 
Tome conta de cada parte de você: seu corpo, sua mente vigorosa, suas qualidades e, especialmente, seu olho interior, sua capacidade para insight. Se você quiser, ele poderá ver profundamente. O estresse não vai consumi-lo porque seus limites se tornam amplos. Haverá mais espaço em branco do que rabiscados em sua página. 
Você será chamado para demandas imediatas, mas sabe que existe um lugar para retirar-se no fim do dia.
(Brahma Kumaris)

sábado, 10 de dezembro de 2016

Porque hoje é sábado



Foi para ti
que desfolhei a chuva
para ti soltei o perfume da terra
toquei no nada
e para ti foi tudo

Para ti criei todas as palavras
e todas me faltaram
no minuto em que talhei
o sabor do sempre […]

(Mia Couto)

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

O amor não dói



Quando a sensibilidade se torna arte!

Livro da Isadora,  dando voz aos intensos sentimentos do seu coração.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Contando um conto



Em um aeroporto ouvi um pai e uma filha nos seus últimos momentos juntas. Anunciaram a partida do avião da filha e, perto da entrada, o pai disse: te amo, desejo a você o suficiente.
A filha disse, pai, nossa vida junto tem sido mais do que suficiente. Seu amor é tudo que eu sempre precisei. Te desejo o suficiente também, mãe. Elas deram um beijo de adeus e ela se foi.
A mãe andou em direção à janela onde eu estava sentado. Eu podia ver que ela queria e precisava chorar. Tentei não me invadir a privacidade, mas ela me cumprimentou perguntando, você já disse adeus a alguém sabendo que seria pra sempre?
Sim, já disse, respondi. E ao dizer isso me vieram lembranças de quando expressei meu amor e admiração por tudo que minha mãe tinha feito por mim. Reconhecer que os dias dela estavam no final, reservei um tempo para dizer-lhe pessoalmente o quanto ela significava pra mim.
Então eu sabia o que esta mulher estava passando. Desculpe por perguntar, mas porque esse é um adeus para sempre, perguntei. Estou velha e ela vive muito longe. Tenho desafios à frente a realidade é que a próxima viagem dela de volta será para o meu funeral, ela disse.
Quando vocês estavam se despedindo eu ouvi você dizer, ‘te desejo o suficiente’. Posso perguntar o que isso significa?. Ela começou a rir. É um desejo que tem sido passando por gerações. Meus pais diziam pra todo mundo.
Ela parou por um momento como se tivesse tentando lembrar de algo, então sorriu de novo. Quando dissemos ‘te desejo o suficiente’, estamos querendo que a outra pessoa tenha uma vida cheia de coisas que a sustente, ela continuou, e então se virou pra mim e disse o seguinte, como se estivesse recitando da memória:
Lhe desejo suficiente sol para manter sua atitude iluminada.
Lhe desejo suficiente chuva para apreciar o sol ainda mais.
Lhe desejo suficiente felicidade para manter seu espírito vivo.
Lhe desejo suficiente dor para que as menores alegrias da vida pareçam muito maiores.
Lhe desejo suficiente prosperidade para satisfazer suas vontades.
Lhe desejo suficiente perda para apreciar tudo que você possui.
Lhe desejo suficiente ‘olá’ até que chegue ao seu final  ‘adeus'.
(Bob Perks)

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Apreciação



Você tem de estar completamente desperto ao presente para apreciar o chá.
Somente na consciência do presente,
suas mãos podem sentir a prazeroso calor da xícara.
Somente no presente, você pode saborear o aroma,
provar sua doçura,
apreciar sua delicadeza.
Se você está remoendo o passado,
ou se preocupando com o futuro,
você perderá completamente a experiência de desfrutar uma xícara de chá.
Você olhará para a xícara,
e o chá terá acabado.
A vida é assim.
Se você não está totalmente presente,
você olhará envolta e ela terá partido.
Você terá perdido a sensação,
o aroma,
a delicadeza e a beleza da vida.
Como se ela estivesse passando bem na sua frente.
O passado acabou. Aprenda com ele e o deixe partir.
O futuro nem está aqui ainda.
Planeje-se,
mas não perca seu tempo preocupando-se com ele.
A preocupação não vale a pena.
Quando você parar de remoer sobre o que já aconteceu,
Quando você parar de se preocupar com o que talvez nunca acontecerá,
então você estará vivendo o presente.
E você começará a experimentar as alegrias da vida.

(Thich Nhat Hanh)

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Luz da semana



Nesse momento, o serviço mais essencial que podemos fazer para a humanidade é espalhar vibrações de paz.
À medida que o medo e a animosidade abastecem os cenários ao redor do mundo, nossas vibrações - que emergem de pensamentos e votos pacíficos podem funcionar como tranquilizantes que acalmam a atmosfera. 
Assim como pensamentos tóxicos de ódio e revanche tem moldado as crises, pensamentos de paz mundial nos levarão em direção à resoluções mais calmas das situações.
(Brahma Kumaris)

sábado, 3 de dezembro de 2016

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Olhar puro, olhar de sabedoria



É chegado o momento de abrir os portais de nossa consciência verdadeira. Assim podemos apreciar melhor a experiência humana
O que é a sabedoria do olhar?
Qual a visão pura e clara da realidade?
Será que você está vendo através de etiquetas, de nomes, de grifes, de jargões, de clichês?
Ou observa em profundidade, avalia e reconhece o que é, assim como é?
Quando eu era pequena, me encantava um poema que minha mãe escrevera sobre meu avô: “A única coisa que me separa de meu pai são os anos. O homem que analisa friamente e termina por reconhecer que não pode crer nem descrer, pois desconhece.”
Mas como conhecer? Reconhecer, rever, religar, reler.
A mídia internacional escolhe temas e estes são passados a todos os países. Quem faz essa escolha e por quê? Há interesses em divulgar misérias, crimes, abusos, guerras? Destacar o que divide, o que separa?
Não. Também não queremos óculos cor de rosa ou azuis de dizer que está tudo bem, tudo bem.
Há coisas maravilhosas e estranhas e há gatos selvagens e vacas brancas — reza um texto budista antigo.
Eu queria saber mais das coisas maravilhosas e estranhas.
Quero ter notícias do amor e do cuidado, do crescimento da solidariedade e da ternura.
Quero saber das pessoas honestas e boas que todos os dias se levantam cedo e dormem tarde, vivendo horas nos trens e nos transportes coletivos. Meus heróis e heroínas brasileiros.
Trabalhadoras e trabalhadores do bem. Guardiões do caminho iluminado.
Gostaria de manchetes internacionais com as nossas meninas da ginástica rítmica, um dos ouros brasileiros nos jogos Pan-Americanos de Toronto.
Houve pódios e mais pódios, até de tiro ao alvo.
Melhor ganhar nas competições esportivas com a habilidade de atirar do que nas batalhas das ruas.
Do que nos alimentamos? Do que alimentamos nossas mentes? Quem nos faz olhar para este ou aquele evento? Podemos realmente escolher, ouvir, ver, escutar, perscrutar?
No mosteiro de Nagoya, onde pratiquei por sete anos, minha superiora costumava nos dizer:
“Para ver televisão, primeiro temos de levantar as antenas. Sintonizadas, podemos escolher ao canal que queremos assistir. Pode ser o do drama, do sofrimento, do horror. Mas podemos mudar para o canal Buda. Você tem o controle. Saia do mundo da dor e entre no mundo do saber, compreender e atuar de forma iluminada.”
Olhar puro, olhar iluminado, é o observar profundo e sem máculas, sem apegos e sem aversões. Ver em profundidade. Não ser manipulada nem manipular ninguém.
Abrir o coração-mente para a sabedoria suprema. Compreender os justos e os injustos.
Os que dizem a verdade e os que mentem.
Pois somos todos seres humanos e frágeis, corrompíveis e sublimes.
Vamos estimular em nós e em todos os seres a capacidade de amar e cuidar? A empatia do reconhecimento do bem feito e do estímulo ao que beneficie o maior número de seres?
Além, muito além, deste ou daquele grupo.
Somos uma única família, a humana.
Somos a vida da Terra. 
É chegado o momento de abrir os portais de nossa consciência verdadeira, de nossa mente incessante e luminosa. Assim podemos apreciar melhor esta experiência maravilhosa e estranha de seres humanos no planeta Terra, Sistema Solar, Via Láctea.
Ah! As estrelas no céu podem nos contar tanto.
Mãos em prece. _/\_
(Monja Coen)

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Contando um conto



Atacado na própria honra, o samurai teve um acesso de fúria e sacando da bainha a sua espada, berrou:
– Eu poderia matar-te por tua impertinência!
– Isso é o inferno – respondeu o Mestre
Espantado por ver a verdade no que o mestre dizia, o samurai embainhou a espada e sorriu, fazendo-lhe uma reverência…
– E isso é o céu – disse o Mestre.

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Regra fundamental



Quando nós dizemos o bem, ou o mal... há uma série de pequenos satélites desses grandes planetas, e que são a pequena bondade, a pequena maldade, a pequena inveja, a pequena dedicação. 
No fundo é disso que se faz a vida das pessoas, ou seja, de fraquezas, de debilidades. Por outro lado, para as pessoas para quem isto tem alguma importância, é importante ter como regra fundamental de vida não fazer mal a outrem.
A partir do momento em que tenhamos a preocupação de respeitar esta simples regra de convivência humana, não vale a pena perdermo-nos em grandes filosofias sobre o bem e sobre o mal.
Não faças aos outros o que não queres que te façam a ti, parece um ponto de vista egoísta, mas é o único do gênero por onde se chega não ao egoísmo mas à relação humana.
(José Saramago)

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Coisas d'alma



Tomara
Que a tristeza te convença
Que a saudade não compensa
E que a ausência não dá paz
E o verdadeiro amor de quem se ama
Tece a mesma antiga trama
Que não se desfaz
E a coisa mais divina
Que há no mundo
É viver cada segundo
Como nunca mais...
(Vinícius de Moraes)

Vamos Chape!



Quando nos deparamos com uma tragédia há uma espécie de despertar.    
Uma dor que não faz parte do nosso coração surge de uma maneira solidária ao sofrimento dos outros. E, num instante, nos reconhecemos na mesma fragilidade,
A tragédia que vitimou a equipe da Chapecoense nos une em sofrimento, solidariedade e orações pelo luto de tantos, possibilitando o fluir da compaixão dentro de nós.
Que haja luz.
(Uti)

Existem certos sofrimentos que só podem ser esquecidos quando podemos flutuar por cima de nossas dores.
(Paulo Coelho)

Pensamentos daqui e dali



Que vale mais
Meu nome de família ou meu Ser?
Que é mais meu:
Minhas posses externas ou meu íntimo Ser?
Que me é mais importante:
Meus lucros ou minhas perdas?
Quem prende seu coração a algo
Está preso.
Quem deseja possuir tesouros
E um pobre possesso.
Quem vive satisfeito
E feliz com os satisfeitos
Quem respeita os seus limites
Não corre perigo.
Isto gera verdadeira serenidade
De dentro vem o que por fora se revela.
(Lao Tse)

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Luz da semana



Nunca acredite em ninguém que diz que não podemos mudar.
A visão é um dos segredos da transformação pessoal. Somos todos artistas. Nossa mente é o palco da criação e da visão.
Qual é a visão que você tem de si hoje?
Paciente? Descontraído? Positivo? Tenso? Pressionado? O que você prefere?
Então seja criativo! 
A paciência se parece com que? Sinta isso! 
O que você sente quando está usando o seu poder de esperar? 
Sempre comece com uma visão, não com uma ação. Veja isso e você será isso. Seja isso e você fará isso.
É assim que criamos nossa própria vida.
(Mike George)