terça-feira, 31 de maio de 2016

Pensamentos daqui e dali




Galopamos pela vida como artistas de circo, equilibrados em dois cavalos que correm lado a lado a toda velocidade - com um pé sobre o cavalo chamado 'destino',e o outro sobre o cavalo chamado 'livre arbítrio'. 
E a pergunta que você precisa fazer todos os dias é: qual dos cavalos é qual? Com qual cavalo devo parar de me preocupar, por que ele não esta sob meu controle, e qual deles preciso guiar com esforço concentrado?

(Elizabeth Gilbert - Comer, rezar, amar)

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Palavras



Você não consegue mudar o que não consegue encarar.
Por isso, onde quer que você se encontre, é exatamente onde precisa estar.
(
Deepak Chopra)

Luz da semana



Veja que você cria o espaço em que o mundo se move, o tempo em que ele dura.
Perceba que o mundo é apenas areia.
Você pode brincar com ele, você pode andar sobre ele, mas não construa uma casa lá.
Não há jornada, como se diz.
Pode parecer que não, mas estamos sempre de volta onde começamos.
O que fomos em essência e o que seremos em essência, é o que somos em essência.
(Wu Hsin)

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Relação de poder entre homens e mulheres



Por cada mulher e rapariga atacadas com violência, reduzimos a nossa humanidade. Por cada mulher forçada a ter sexo desprotegido por exigência do homem, destruímos dignidade e orgulho. Cada mulher que tem de vender a sua vida por sexo, condenamos a prisão perpétua. Por cada mulher infectada pelo HIV, destruímos uma geração. (...) Temos de ser honestos e sinceros sobre as relações de poder entre homens e mulheres na nossa sociedade, e temos de ajudar a construir um ambiente de maior capacitação e apoio, que coloque o papel da mulher na ribalta desta luta. Cada um de nós - irmã e irmão, mãe e pai, professor e aluno, sacerdote e paroquiano, gerente e trabalhador, presidentes e primeiros-ministros - têm de juntar a sua voz a esta exigência de atuação.
(Nelson Mandela, in 'Conferência Mundial sobre Religião e Paz -1994)

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Contando um conto



Um praticante foi até o seu professor de meditação, tristemente, e disse: Minha prática de meditação é horrível! Ou eu fico distraído, ou minhas pernas doem muito, ou eu constantemente fico com sono. É simplesmente horrível
Isso passará, o professor disse suavemente.
Uma semana depois, o estudante retornou ao seu professor, eufórico: Minha prática de meditação é maravilhosa! Eu sinto-me tão consciente,tão pacífico, tão relaxado, tão vivo! É simplesmente maravilhoso!
O mestre disse tranquilamente: Isso também passará.

quarta-feira, 25 de maio de 2016

O próprio viver



Cada um de nós tem uma música própria para cantar, uma dança própria para dançar.
Às vezes, em sua simplicidade, isso é óbvio. Em outras é complexo e confuso, escondido nos recônditos de uma essência ainda desconhecida. Todos nós estamos aqui para fazer algo único, para expressar nossa individualidade e seu desejo pela perfeição e por uma vida mais gloriosa. Quando descobrimos o que tal expressão significa, sentimos grande alegria e plenitude e, nessa evolução, o ritmo de nossas vidas, parece se acelerar. Ficamos felizes, ligados a vida, seja vendendo imóveis ou administrando recursos financeiros ou sendo mãe e dona de casa, varrendo o chão e fazendo compras, ou coreografando uma peça da Broadway. Nesse ponto, todo o esforço despendido com elementos discordantes e dispares faz sentido: ele nos ensina a arte de nos assenhorarmos da vida - o controle do eu. Ocorreu uma integração. As rupturas no mundo exterior parecem coincidir com algum tipo de plenitude interior, uma lição aprendida. E mesmo que não haja nenhum sinal dramático externo, o próprio viver torna-se excitante. Talvez não mais fácil, mas certamente mais gratificante, mais harmonioso. De repente a vida tem um propósito e você tem algo a dizer. A completa maestria é apenas uma questão de tempo.
(Zulma Reyo)

terça-feira, 24 de maio de 2016

Entre aspas



Fico besta com quem perde a compostura por não gostar de algo ou alguém: tão mais simples desconectar. 
Não ouça, não leia, não prestigie. 
Dê atenção ao que tem sintonia com você. E toque sua vida, sem agredir.
(Martha Medeiros)

Pensamentos daqui e dali



O amadurecimento no caminho espiritual cria para nós milhares de possibilidades. Toda magia e encantamento das dez mil coisas que surgem diante de nós ganha vida de uma maneira nova. Nossos pensamentos e sentimentos se abrem como uma paleta em expansão. Experimentamos mais profundamente tanto a beleza quanto o sofrimento da vida; podemos ver com novos olhos e ouvir toda a grande canção da vida.
(...) Todas as grandes religiões são apenas conjuntos de palavras e conceitos, cortinas puxadas sobre o grande mistério da vida. Elas são os caminhos que grupos de seres humanos iguais a nós encontraram para interpretar, compreender e se sentir seguros diante da indescritível, impenetrável e sempre mutável canção da vida.
Como honramos esse mistério? A partir de uma perspectiva desperta, a vida é um jogo de padrões, os padrões das árvores, o movimento das estrelas, o padrão das estações e os padrões da vida humana em todas as suas formas. Cada um desses padrões poderia ser chamado de uma canção ou de uma história. (...) Esses padrões básicos, essas histórias, os arquétipos universais através dos quais toda vida surge, podem ser vistos e ouvidos quando estamos serenos, atentos e despertos.
À medida que a nossa visão se abre, podemos fazer indagações extraordinárias. Quais os padrões e histórias que nos foram reservados nesta vida? Qual a forma "individual" que assumimos desta vez? Quais os mitos e histórias que herdamos e quais histórias continuamos acompanhando em face do mistério?
(...) As circunstâncias da nossa vida nos levam a certos temas, a certas tarefas a cumprir, a dificuldades que precisamos enfrentar e a lições que temos de aprender. Convertemos isso tudo na nossa história, na nossa canção. À medida que ouvimos profundamente, podemos escutar qual parte escolhemos, como criamos nossa identidade diante do mistério. Contudo, precisamos perguntar: "É isso que eu sou?"
A prática espiritual é revolucionária. Ela permite que saiamos da nossa identidade pessoal, da nossa cultura e religião, para experimentar mais diretamente o grande mistério, a grande música da vida.
(...) Aqui à nossa volta está sempre o mistério. Essa grande canção tem a alegria e a tristeza como sua urdidura e textura. Entre as montanhas e os vales do nascimento e da morte, encontramos todas as vozes e todas as possibilidades. A prática espiritual não nos pede para colocarmos mais crenças em cima de nossa vida. No seu cerne, ela nos pede para despertar, para enfrentar a vida diretamente.
(...) Veremos como isso pode ser difícil. Encontraremos todas as histórias de dor e medo, o sentimento contraído do eu que se retrai diante das inevitáveis adversidades e sofrimentos da vida. Sentiremos o vazio e a perda na impermanência de nós mesmos e de todas as coisas. Durante um certo tempo da prática, toda a criação talvez pareça ser uma história limitada e dolorosa, na qual a vida é impermanente, cheia de sofrimentos e difícil de suportar. Talvez ansiemos por afastar-nos de suas dores e reveses. Mas essas perspectivas são apenas a primeira parte do nosso despertar.
A segunda parte da grande história do despertar não se refere à perda ou à dor, mas ao encontro da harmonia da nossa própria canção dentro da grande canção. Podemos encontrar paz e liberdade diante do mistério da vida. (...) No processo de transformação, surge uma abundância de novas formas, de novos nascimentos, de novas possibilidades, de novas expressões de arte, de música e milhões de formas de vida. É somente porque tudo está mudando que essa generosa e ilimitada criatividade existe.
O tesouro oculto nos sofrimentos, nas tristezas e dores do mundo é a própria compaixão. A compaixão é a resposta da vida ao sofrimento. Compartilhamos a beleza da vida e o oceano das lágrimas. O sofrimento da vida é parte do coração de cada um de nós, e parte daquilo que nos liga uns aos outros. Ele traz consigo a sua ternura, a misericórdia e uma bondade universal que pode tocar todos os seres.

(Jack Kornfiel)

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Luz da semana



Diariamente, criamos energias escuras por meio das coisas negativas que fazemos. Ao mesmo tempo, criamos energias positivas quando pronunciamos palavras de Luz e quando somos uma força de gentileza neste mundo.
Quando permitimos que a parte semelhante a Deus dentro de nós se propague e toque as pessoas ao nosso redor, construímos nossa Luz e nossa força individuais e, simultaneamente, aumentamos a energia positiva no mundo como um todo.
Quando a Luz dentro de nós – nossa gentileza, nossa força, nosso amor – prevalece sobre nossos impulsos negativos – nossos medos, nossa raiva e ódio por nós mesmos – contribuímos com energia positiva na batalha cósmica da Luz contra a escuridão. Nenhum esforço espiritual se destina a nós individualmente. Estamos todos interconectados, e tudo que fazemos, ou não fazemos, afeta os que nos rodeiam e, no final, a humanidade como um todo.
Não é fácil essa batalha que enfrentamos todos os dias de nossas vidas, mas é nesse campo que viemos a este mundo lutar. Nós temos em nossas mãos as ferramentas espirituais que podemos empregar - e triunfaremos.
 (Karen Berg)

domingo, 22 de maio de 2016

Pensamentos daqui e dali



Somos as escolhas que fazemos e as que omitimos, a audácia que tivemos e os fantasmas aos quais sacrificamos a possível alegria e até pessoas a quem amamos; a vida que abraçamos e a que desperdiçamos. 
Em suma, fazemos a escritura da nossa complicada história.
(Lya Luft)

Para aquecer o coração

sábado, 21 de maio de 2016

Porque hoje é sábado



São aquelas pequenas coisas,
que nos deixou um tempo de rosas,
em um canto,
em um papel
ou em uma gaveta.

Como um ladrão
te esperam atrás
da porta.
Você fica totalmente
à sua mercê
como folhas mortas

que o vento arrasta lá ou cá,
que lhe sorriem tristes e
fazem que
choremos quando
ninguém nos vê.

(Joan Manuel Serrat)

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Palavras








Nem todos são bons, mas sempre há algo de bom em cada um. 
Nunca julgue ninguém de imediato: todo santo tem um passado e todo pecador tem um futuro.
(Oscar Wilde)

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Contando um conto



Eu caminhava com meu pai quando ele se deteve em uma curva e depois de um pequeno silêncio me perguntou: Além da cantoria dos pássaros, você ouve mais alguma coisa?
Agucei os meus ouvidos e alguns segundos depois lhe respondi: Estou ouvindo o barulho de uma carreta.
É isso. Disse o meu pai. É uma carreta vazia.
Perguntei ao meu pai: Como você sabe que é uma carreta vazia, se ainda não a vimos?
Então o meu pai respondeu: É muito fácil saber quando uma carreta está vazia, pelo barulho. Quanto mais vazia a carreta, maior o barulho que faz.
Transformei-me em adulto e agora, quando vejo uma pessoa falando demais, interrompendo a conversa de todos, sendo inoportuna ou violenta, se sentindo poderosa e desprezando as pessoas, tenho a impressão de ouvir a voz do meu pai dizendo: “Quanto mais vazia a carreta, maior o barulho que faz”.

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Entre aspas







Podemos ser espaçosos e no entanto cheios de gentileza amorosa.
Viva como as cordas de um bom instrumento – nem firmes demais, nem muito soltas.

terça-feira, 17 de maio de 2016

Palavras






O local de descanso da mente é o coração. 
A única coisa que a mente escuta o dia inteiro são sinos dobrando, barulho e discussão, e tudo que ela quer é tranquilidade. O único lugar em que a mente vai encontrar paz é dentro do silêncio do coração. 
É para lá que você tem de ir.

(Elizabeth Gilbert)

Vamos nos permitir



A vida é maravilhosa, mesmo quando dolorida. 
Eu gostaria que na correria da época atual a gente pudesse se permitir, criar, uma pequena ilha de contemplação, de auto-contemplação, de onde se pudesse ver melhor todas as coisas: com mais generosidade, mais otimismo, mais respeito, mais silêncio, mais prazer. Mais senso da própria dignidade, não importando idade, dinheiro, cor, posição, crença. 
Não importando nada.
(Lya Luft)

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Luz da semana






A Luz não vem da luz.
A Luz vem da escuridão.
Às vezes, os momentos mais difíceis, mais dolorosos de nossas vidas, podem nos levar aos nossos momentos mais profundos de serenidade e conexão com nossas verdades internas, e é nessas ocasiões que podemos vivenciar a beleza e a plenitude do Divino.
(Karen Berg)

domingo, 15 de maio de 2016

Coisas d'alma










Existem saudades que sabem rir. 
São as minhas preferidas.
(Ana Jácomo)

Familia Buscapé



Não existe família perfeita.
Não temos pais perfeitos, não somos perfeitos, não nos casamos com uma pessoa perfeita e nem temos filhos perfeitos.
Temos queixas uns dos outros. Decepcionamos uns aos outros.
Por isso, não há casamento saudável nem família saudável sem o exercício do perdão. O perdão é vital para nossa saúde emocional e sobrevivência espiritual. Sem perdão a família se torna uma arena de conflitos e um reduto de mágoas. Sem perdão a família adoece. O perdão é a assepsia da alma, a faxina da mente e a alforria do coração. Quem não perdoa não tem paz na alma e nem comunhão com Deus.
A mágoa é um veneno que intoxica e mata. Guardar mágoa no coração é um gesto autodestrutivo. É autofagia. Quem não perdoa adoece física, emocional e espiritualmente.
É por isso que a família precisa ser lugar de vida e não de morte; território de cura e não de adoecimento; palco de perdão e não de culpa. O perdão traz alegria onde a mágoa produziu tristeza; cura, onde a mágoa causou doença.

(Papa Francisco)

Para aquecer o coração

'Sanjay's Super Team' Oscars 2016 Short Film (Animated) from Raj Kamal Singh on Vimeo.

sábado, 14 de maio de 2016

Porque hoje é sábado







Não basta sentir a chegada dos dias lindos.
É necessário proclamar:  - Os dias ficaram lindos!

(Carlos Drummond de Andrade)

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Pensamentos daqui e dali



Cedo eu descobri que o que eu mais queria na vida era o poder.
O poder estar sempre com as pessoas que eu amo, o poder andar despreocupado pelas ruas, apreciar cenários, paisagens, bichos, gente que passa. O poder tomar outro caminho só porque naquela direção um verde me despertou a curiosidade. O poder trabalhar no que me alegra. O poder ser dono do meu tempo e fazer o que quiser sem precisar me aposentar. O poder estar sempre disponível para quem está perto e precisa. O poder ter certeza de que o abraço recebido é de afeto e não de interesse. O poder ser eu mesmo e envelhecer saudável.
Céus, como ambiciono todo esse poder!
(Francisco Azevedo)

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Palavras



Quando te separares de um amigo, não te preocupes, pois o que tu amas nele pode tornar-se mais claro com a sua ausência, assim como para o alpinista a montanha aparece mais clara vista da planície.
(Khalil Gibran)

Contando um conto



Um pai, em uma situação muito confortável de vida, resolveu dar uma lição a seu filho ensinando o que é ser pobre. Ficaria hospedado por alguns dias na casa de uma família de camponeses. O menino passou três dias e três noites vivendo no campo.
No carro, voltando para a cidade, o pai lhe perguntou: Como foi sua experiência? Boa. respondeu o filho, com o olhar perdido à distância.
E o que você aprendeu?, insistiu o pai.
O filho respondeu: Que nós temos um cachorro e eles têm quatro. Que nós temos uma piscina com água tratada, que chega até metade do nosso quintal. Eles têm um rio sem fim, de água cristalina, onde têm peixinhos e outras belezas. Que importamos lustres do Oriente para iluminar nosso jardim, enquanto eles têm as estrelas e a lua para iluminá-los. Nosso quintal chega até o muro.
O deles chega até o horizonte. Compramos nossa comida e esquentamos em micro-ondas, eles cozinham em fogão à lenha. Ouvimos CD’s, Mp3, eles ouvem a sinfonia de pássaros, sapos, grilos, tudo isso às vezes acompanhado pelo sonoro canto de um vizinho trabalhando sua terra. Para nos protegermos vivemos rodeados por um muro, com alarmes… Eles vivem com suas portas abertas, protegidos pela amizade de seus vizinhos. Vivemos conectados ao celular, ao computador, sempre plugados, neuroticamente atualizados. Eles estão conectados à vida, ao céu, ao sol, à água, ao campo, animais, às suas sombras, à sua família.
O pai ficou impressionado com a profundidade de seu filho e então o filho terminou: Obrigado, pai, por ter me ensinado o quanto somos pobres!
Nós temos olhos para enxergar, ouvidos para escutar, mas falta a humildade em nossa mente e coração para poder sentir.

quarta-feira, 11 de maio de 2016

A justiça em estado puro



Quero que me ensinem também o valor sagrado da justiça — da justiça que apenas tem em vista o bem dos outros, e para si mesma nada reclama senão o direito de ser posta em prática. 
A justiça nada tem a ver com a ambição ou a cobiça da fama, apenas pretende merecer aos seus próprios olhos. 
Acima de tudo, cada um de nós deve convencer-se de que temos de ser justos sem buscar recompensa. Mais ainda: cada um de nós deve convencer-se de que por esta inestimável virtude devemos estar prontos a arriscar a vida, abstendo-nos o mais possível de quaisquer considerações de comodidade pessoal. 
Não há que pensar qual virá a ser o premio de um ato justo; o maior premio está no fato de ele ser praticado. Mete também na tua ideia aquilo que há pouco te dizia: não interessa para nada saber quantas pessoas estão a par do teu espírito de justiça. Fazer publicidade da nossa virtude significa que nos preocupamos com a fama, e não com a virtude em si. Não queres ser justo sem gozares da fama de o ser ? 
Pois fica sabendo: muitas vezes não poderás ser justo sem que façam mau juízo de ti! Em tal circunstância, se te comportares como sábio, até sentirás prazer em ser mal julgado por uma causa nobre!
(Séneca)

terça-feira, 10 de maio de 2016

Coisas d'alma


A vida é boa



A vida é boa acima de tudo; é boa por si mesma; o raciocínio nada conta para isso. Não se é feliz por viagem, riqueza, sucesso, prazer. É-se feliz porque se é feliz. A felicidade é o sabor mesmo da vida. Como o morango tem gosto de morango, assim a vida tem gosto de felicidade.
O sol é bom; a chuva é boa; todo ruído é música. Ver, ouvir, cheirar, saborear, tocar não é mais do que uma sucessão de felicidades. Mesmo os pesares, mesmo as dores, mesmo o cansaço, tudo isso tem um sabor de vida.
Existir é bom; não melhor do que outra coisa; pois existir é tudo, e não existir não é nada.
Agir é uma alegria. Perceber é uma alegria também. Não somos condenados a viver; vivemos avidamente.
Queremos ver, tocar, julgar; queremos descobrir o mundo. 
Viver é querer viver. Qualquer vida é um canto de regozijo.
(André Comte-Sponville)

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Luz da semana

Não podemos determinar exatamente o que irá acontecer amanhã ou depois, mas podemos colocar em movimento uma energia positiva com a esperança de que ela voltará para nós.
Quando alguém joga uma pedra no meio de um lago, as ondas formadas irradiam até a borda e depois voltam em contracorrente até o centro.
Da mesma forma, a bênção que emitimos para o mundo voltará para nós. 
Projetamos nossa virtude ao desconhecido, como uma oração que alça voo em direção ao divino e traz a recompensa, em algum momento, para aquele que rezou.
(Brahma Kumaris)

sábado, 7 de maio de 2016

Porque hoje é sábado



As lembranças que tenho
Repousam docemente na minha memória
Afastando qualquer distância
Como se não houvesse ausência
Imortal que és!
(Uti)

sexta-feira, 6 de maio de 2016

Pensamentos daqui e dali



Mestre, que dizes do tempo?
E Ele respondeu: Gostaríeis de medir o tempo, o ilimitado e o incomensurável. Gostaríeis de ajustar vosso comportamento e mesmo de reger o curso de vossas almas de acordo com as horas e as estações. Do tempo, gostaríeis de fazer um rio, na margem do qual vos sentaríeis para observar correr as águas. Contudo, o que em vós escapa ao tempo, sabe que a vida também escapa ao tempo,e sabe que ontem é apenas a recordação de hoje e amanhã, o sonho de hoje. E que aquilo que canta e medita em vós continua a morar dentro daquele primeiro momento em que as estrelas foram semeadas no espaço.
Quem dentre vós não sente que seu poder de amar é ilimitado?
E, contudo, quem não sente esse amor, embora ilimitado, circunscrito dentro do seu próprio ser, e não se movendo de um pensamento amoroso a outro, e de uma ação amorosa a outra?
E não é o tempo, exatamente como o amor, indisível e insondável?
Se, todavia, deveis dividir o tempo em estações, que cada estação envolva todas as outras estações.
E que vosso presente abrace o passado com nostalgia e o futuro com ânsia e carinho.
(Gibran)

quinta-feira, 5 de maio de 2016

Contando um conto



Há muitos, muitos anos, as terras de Maia ainda eram densas de florestas e de campos verdejantes.
Os seus habitantes tiravam o seu sustento e a sua riqueza dos campos que cultivavam.
Num belo dia do mês de Maio nasceu uma menina, de olhos muito azuis e cabelos cor de fogo.
Seus pais, humildes e modestos camponeses, felizes com o evento, não se cansavam de contemplar aquele ser tão ágil e tão pequenino que lhes sorria.... um sorriso grande que iluminava tudo!
Desde o seu nascimento que aquela casa estava diferente, com um perfume estranho e uma música celestial que não se sabia de onde vinha...
Cedo se aperceberam que qualquer coisa de anormal se passava com a pequenina:
quando esta sorria, tudo em seu redor também sorria, uma música de encantar fazia-se ouvir, o perfume da primavera e uma sensação de paz e felicidade rodeava tudo e todos.
Cada vez mais assustados com este fenômeno, os pais foram pedir conselho ao prior da aldeia.
Este nada de anormal achou naquela criança, antes pelo contrário, foi Deus que quis que esta menina trouxesse consigo a música e o perfume das flores do mês de Maio.
Quando a batizaram, lhe deram o nome de Maia, não só em homenagem ao mês de Maio, mês em que nascera, mas também ao mês das cores e dos perfumes do campo.
Durante doze longos anos Maia foi crescendo, desenvolvendo-se em sabedoria e beleza, tomando-se numa linda mulher.
Seus pais cultivaram durante todos esses anos o medo da reação dos vizinhos se descobrissem o dom da filha e fecharam-na em casa como que numa redoma, sem poder brincar com as crianças da sua idade, sem crescer com elas, sem amigos, sem contatos com outras pessoas que não fossem os seus pais.
Maia não compreendia tal atitude, pois apesar do que lhe dizia seus pais, não se achava diferente das outras crianças.
Um dia o padre voltou a casa, para ver o que se passava.
E este foi descobrir Maia, linda como as flores, rodeada de plantas e animais que foram os seus amigos e companheiros de brincadeiras durante todos estes anos.
Sorrindo, levantou-se e beijou a mão do santo homem e aqueles olhos azuis e o som da sua voz quente e cristalina transformaram um céu triste num belo dia de primavera, luminoso, onde o perfume dos campos floridos rodeava tudo à sua volta e uma cálida sensação de paz e felicidade invadiu o corpo do padre já vergado pelo peso dos anos.
Encantado com tal prodígio, mas zangado com a atitude dos pais, o padre levou-a para a igreja e lá, no final da Missa, apresentou-a a toda a aldeia que a acolheu.
Sorrindo, Maia agradeceu o cuidado demonstrado por todos.
Nesta altura um perfume das flores de Maio irrompeu pela igreja!
Uma música suave, terna e repousante extasiou os corações de todos os presentes!
E foi assim que a fama do seu sorriso e a candura sua voz se espalharam rapidamente pelas aldeias vizinhas!
Com o decorrer do tempo as romarias às Terras de Maia começaram a ser cada vez em maior número, só para verem com os seus próprios olhos aquela menina dos cabelos de fogo e de belos olhos azuis que, quando sorria ou falava tudo se modificava em seu redor...
Diz a lenda que ainda hoje - diz-se entre os mais velhos - que nas Terras de Maia, muitos anos depois da menina já ter morrido, e durante o mês de Maio, se mantém o velho costume de pelos campos saírem a procura das flores do mês de Maio.

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Amor genuino



O apego diz: eu te amo, por isso eu quero que você me faça feliz. 
E o amor genuíno diz: eu te amo, por isso quero que você seja feliz. Se isso me incluir, ótimo! Se não me incluir, eu só quero a sua felicidade.
O apego é como segurar com bastante força. 
Mas o amor genuíno é como segurar com muita gentileza, nutrindo, mas deixando que as coisas fluam. Não é ficar preso com força. 
Porém é muito difícil para as pessoas entenderem isso, porque elas pensam que quanto mais elas se agarram a alguém, mais isso demonstra que elas se importam com o outro.
Qualquer tipo de relacionamento no qual imaginamos que poderemos ser preenchidos pelo outro será certamente muito complicado.
Quanto mais agarrarmos o outro com força, mais nós sofreremos.
(Jetsunma Tenzin Palmo)